A Inês era uma jovem criativa que gostava muito de cinema, mas sentia-se perdida, uma vez que sempre pensou que nenhuma opção de secundário se adequava à sua vocação.

A Inês era uma jovem criativa que gostava muito de cinema, mas sentia-se perdida, uma vez que sempre pensou que nenhuma opção de secundário se adequava à sua vocação.

Tinha chegado aquele momento no percurso escolar em que os jovens tomam uma decisão face ao ensino secundário. A Inês era uma jovem criativa que gostava muito de teatro, dança e cinema, mas sentia-se perdida, uma vez que sempre pensou que nenhuma opção de secundário se adequava à sua vocação.

Depois de uma sessão informativa que o psicólogo fez em todas as turmas do 9º ano, baseada no site da Direção-Geral da Educação (https://www.dge.mec.pt/oferta-formativa) e no da ANQEP (http://www.anqep.gov.pt), a Inês e o resto dos colegas descobriram que existem mais opções de prosseguimento de estudos para além dos cursos Científico-Humanísticos.

Mesmo tendo explorado as informações do site, a Inês sentiu necessidade de procurar mais informações. Fez questão de falar mais vezes com o psicólogo para esclarecer as suas dúvidas, mas também para ganhar algumas ideias novas.

Descobriu assim, que existia um curso mais adequado ao seu perfil, que se chamava Artístico Especializado, e até algumas escolas onde poderia desenvolver mais as suas aptidões, como a Escola Artística António Arroio.