Não tenho média para o curso que queria e agora?
Não tenho média para o curso que queria e agora?

Não tenho média para o curso que queria e agora?

  • Post category:Blog

A Leonor tem 17 anos e está a terminar o 12º ano, no Curso de Ciências e Tecnologia. O grande objetivo dela é seguir Engenharia Biológica e entrar no Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa. No entanto, deparou-se com um aumento de 1ponto na média de um ano para o outro. Atribui este facto, aos resultados elevados obtidos pelos estudantes finalistas nos exames nacionais (no contexto da pandemia). Para além disto, não foi fácil para ela a adaptação ao ensino à distância sentindo uma pequena quebra no seu rendimento. Atualmente, prevê ter uma média de 16.9 valores, mas ainda irá fazer o exame nacional de Matemática. A Leonor sabe que poderá aumentar ligeiramente a média se o exame lhe correr favoravelmente mas tem muito receio que lhe corra mal e ainda prejudique mais o seu ingresso no curso desejado. A Leonor sente-se preocupada e ansiosa com o seu futuro, uma vez que não tinha colocado em hipótese não conseguir entrar. Face a isto, veio realizar uma Orientação Vocacional para tentar perceber quais as suas opções.

Vários estudantes passam pelo mesmo que a Leonor e quando chegam a esta reta final sentem um turbilhão de emoções.

Primeiro que tudo é natural que esta fase de transição para o ensino superior possa suscitar preocupações e alguma ansiedade. Provavelmente não te lembras, mas passaste pelo mesmo na transição do 4º para o 5ºano ou no teu 1º dia de aulas. Sentires-te um pouco ansioso/a poderá ser benéfico se te fizer agir, no sentido de procurares soluções. Por outro lado, se a ansiedade for exagerada poderá deixar-te angustiado/a e afetar o teu rendimento. Neste último caso, partilha os teus pensamentos e emoções com um profissional ou alguém da tua confiança.

Então, o que a Leonor ou tu podem fazer quando o plano que traçaram para o vosso futuro profissional parece estar a ser “ameaçado” pelas notas que obtiveram?

A Bioplus vai descrever algumas opções para que tenhas mais do que um plano A:

  • a) Concorrer na mesma ao curso da Universidade que ambicionas apesar da média do ano passado ter sido superior. Tu vais concorrer com os colegas do 12º ano de agora, e não os que já entraram;
  • b) Se ainda não realizaste todos os exames nacionais, dá tudo por tudo nesta fase final. Podes procurar o apoio de explicadores para estares bem preparado/a. Considera recorrer à melhoria de nota dos exames que realizaste no 11º ano se tiveres uma janela para elevares a nota obtida;
  • c) Concorrer a outras Universidades do país ou Politécnicos (este último geralmente tem médias um pouco mais baixas comparativamente ao primeiro);
  • d) Concorrer a uma Universidade privada (por vezes as despesas que terás em te deslocares, poderão cobrir os custos de uma universidade privada);
  • e) Candidatar-te a uma Universidade no estrangeiro (principalmente se já tinhas vontade de ter uma experiência lá fora);
  • f) Procurar outros cursos com planos curriculares ou saídas profissionais semelhantes (informa-te diretamente nos sites das universidades);
  • g) Ingressar na faculdade que pretendes num curso semelhante, e posteriormente pedir transferência (geralmente o processo de transferência é mais fácil devido a cadeiras comuns);
  • h) Ingressar numa Licenciatura similar e depois escolher um Mestrado relacionado com a tua primeira escolha (pesquisa no site da DGES);
  • i) Na tua candidatura preencheres todas as 6 opções de curso disponíveis para que possas ter mais oportunidades de ingressar no ensino superior numa área do teu agrado (em 6º lugar coloca um curso que sabes que de certeza tens média para entrar);
  • j) Fazer um ano sabático e aproveitares para obter explicações para melhorares a tua média ou teres mais tempo para te preparares de forma autónoma.

Lembra-te que tens mais do que uma opção de carreira!

Todos possuímos várias competências e interesses e não nascemos unicamente para desempenhar aquela única profissão. Se o teu interesse for muito orientado para uma determinada profissão de um setor/área, “coloca na mesa” a possibilidade de eventualmente trabalhar nesse mesmo setor/área no entanto dando o teu contributo num outro cargo, assim sentirás mais motivado/a e dedicado no teu ramo profissional.

Hoje em dia o mercado laboral permite-te transitar de funções com muita facilidade e a formação é constante ao longo da carreira. É cada vez menos usual escolher determinada profissão para sempre. Por isso, uma determinada licenciatura base não te vai impedir de ires adaptando as tuas formações posteriores aos teus interesses e objetivos.

Por isso, segue estas dicas e alivia a pressão!