O Tiago ao longo dos semestres foi sentindo a sua desmotivação a crescer, principalmente quando pensava nas perspetivas de emprego…

O Tiago ao longo dos semestres foi sentindo a sua desmotivação a crescer, principalmente quando pensava nas perspetivas de emprego…

O Tiago adorava a natureza e ciências em geral, e sempre quis tirar um curso desta área.

Portanto, quando entrou em Biologia, na Faculdade de Ciências, sentiu que estava a concretizar um sonho e que seria um grande cientista.

Porém, ao longo dos semestres foi sentindo a sua desmotivação a crescer, principalmente quando pensava nas perspetivas de emprego e no tipo de emprego que o esperava. Estava no início do 3º ano e sentia que tinha vivido uma ilusão. Tinha evitado desistir ou mudar de curso porque pensava muitas vezes – “Comecei, mais vale acabar” e “Eventualmente melhora”. 

A sua desmotivação era visível, o que levou alguns colegas a conversar com o Tiago, encorajando-o a falar com o gabinete de apoio aos estudantes da faculdade. 

O Tiago tinha tido expetativas demasiado elevadas para aquilo que seria a licenciatura e sentiu dificuldade a sentir entusiasmo pela área depois da carga de estudo e de aulas teóricas. Foi-lhe recomendado participar nalguns projetos de investigação como voluntário, algo que ele rapidamente aceitou.

Os projetos deram-lhe uma nova perspetiva e mostraram-lhe a importância de grande parte da matéria que tinha achado “chata”, voltando assim a ganhar parte da paixão que sentia. 

Mais tarde, no mestrado, era notável que a sua atitude perante o curso tinha mudado e agora era ele que ajudava novos voluntários nos projetos de investigação.